Ahhhhhhhhh o vinho…!

Sua história está entrelaçada com a nossa, presente na raça humana desde os seus primórdios. O vinho participou da evolução das civilizações antigas, onde sumérios e egípcios registraram com detalhes sua participação em sua sociedade. Na Grécia Antiga, o vinho servia como remédio e era também fonte alimentar. Deuses foram criados em sua homenagem! Na Idade Média, com a Igreja Católica, milagres foram atribuídos ao vinho, que se tornou o Santo Graal da humanidade na Santa Ceia.

Monges aperfeiçoaram o cultivo das vinhas e a produção de vinhos; padres missionários espalharam para o Novo Mundo as técnicas de produção. Reis e rainhas se curvaram diante da complexidade e do prazer que esta bebida milenar proporcionava. Tratados e acordos comerciais foram fechados entre países e guerras foram travadas e até evitadas somente pelo direito de se beber vinho.

O Brasil foi apresentado ao vinho durante a colonização, mas ainda não tem raízes tão profundas com a bebida, o consumo per capita anual é inferior a uma garrafa. Para quem almeja investir na carreira, esta estatística não é tão ruim, isso porque o Brasil está em franco crescimento no que diz respeito ao consumo e já circulam pelas prateleiras mais de 32 mil rótulos diferentes de vinhos, de todas as partes do mundo.

Nossa produção interna está ganhando fôlego com a produção de videiras e vinhos finos em regiões onde antes era improvável que isso acontecesse. A profissão do Sommelier no Brasil já está presente a mais de duas décadas e em 2011 foi oficialmente regulamentada (Lei nº 12.467, de 26 de agosto de 2011).

Texto: Wesley Moreira